Dependência



Mas os que esperam no Eterno renovam suas forças. Abrem asas e voam alto como águias, correm e não se cansam, andam e não ficam exaustos. Isaías 40.31

Não sentimos nenhuma emoção ao andar; andar é um teste para os tributos da estabilidade e equilíbrio. "Caminhar e não se fatigar" é o limite máximo da força física. A palavra "andar" é usada na Bíblia para expressar o caráter. Não há nada de abstrato na Bíblia, ela é sempre viva e real. Deus não diz: "Sê espiritual", mas "Anda na minha presença".
Quando estamos em más condições físicas ou emocionais, buscamos sempre experiências emocionantes. No plano físico, isso leva a falsas manifestações do Espírito Santo; na vida emocional à destruição da moralidade e a afeições desordenadas; e no plano espiritual, se insistirmos em ter sensações, em "subir com asas", acabaremos destruindo a espiritualidade.
A realidade da presença de Deus não depende do lugar onde estamos, mas apenas da determinação de colocarmos sempre o Senhor diante de nós. O problema começa quando nos recusamos a contar com a realidade da sua presença. Poderemos conhecer a experiência de que fala o salmista: "Portanto, não temeremos, ainda que..." quando nos basearmos na realidade; não na consciência da presença de Deus, mas na realidade dela: "Ora, ele estava aqui o tempo todo!"
Em momentos críticos, é necessário pedir orientação de Deus, mas não deveria ser necessário estar sempre dizendo: "Oh, Senhor, dirige-me nisso e naquilo." É claro que ele o fará! Se as nossas decisões, tomadas com sensatez, não estiverem de acordo com a vontade de Deus, ele fará o que for preciso para nos revelar isso; aí o que temos a fazer é ficar quietos e esperar pela orientação da sua presença.

(Extraído de Oswald Chambers - Tudo para Ele, devocional do dia 20 de julho)

0 falatorios para esse texto:

Postar um comentário